Dave Mustaine pede um novo 'Big Four' do thrash metal com a aposentadoria do Slayer. Quem são os candidatos dignos?

A aposentadoria do Slayer marca o fim de uma era para o thrash metal. À medida que uma nova era surge para substituir a anterior, aqui está uma olhada no novo potencial 'Big Four'.

Por Suraj Prabhu
Publicado em: 01h10 PST, 28 de dezembro de 2018 Copiar para área de transferência Dave Mustaine pede novo

No início de janeiro, as lendas do thrash metal Slayer anunciaram que embarcariam em uma última turnê mundial, após a qual pretendem se separar e se aposentar.

Eles anunciaram uma série de datas pela América do Norte com o apoio de uma série de lendários artistas de metal como Lamb of God, Anthrax, Behemoth e Testament para celebrar sua jornada final como uma banda.



O anúncio marca o fim de uma era porque o Slayer, junto com o Metallica, o Megadeth e o Anthrax são amplamente considerados como 'Os Quatro Grandes' do thrash. É uma frase que está no dicionário de todos os metaleiros ao redor do mundo e também é uma ótima frase para iniciar uma conversa nos mesmos círculos por causa das controvérsias e conflitos de ego em torno dela.

Desde os anos 80, a era de ouro do thrash metal, tem havido uma luta constante entre as bandas Big Four, principalmente por causa da natureza ofuscante do Metallica. No ano passado, o frontman do Megadeth, Dave Mustaine, expressou como ele adoraria tocar em um show do Big Four, onde todas as bandas 'fossem tratadas com justiça' em vez de o Metallica tocar um set mais longo e obter mais espaço no palco do que os outros.

Em uma entrevista no SiriusXM, Mustaine disse: 'Eu adoraria ver isso feito de uma forma em que todos nós fôssemos tratados de forma justa e tocássemos juntos, na mesma quantidade de tempo, no mesmo tipo de situação de palco, mas não acho que isso seja vai acontecer. E é legal, porque o Slayer entrará para a história, e eles não precisam dos 'Quatro Grandes' para torná-los mais lendários do que já são. Nem eu.'

quanto vale greta thunberg


Mustaine fez parte do Metallica por um breve período entre 1981 e 1983 antes de ser substituído pelo atual guitarrista Kirk Hammet. Mustaine desafiou o Metallica formando o Megadeth e rivalizou com eles por duas décadas antes de finalmente acertar as contas em 2010, pouco antes do primeiro show do Big Four. As quatro bandas tocaram juntas pela primeira vez em 16 de junho de 2010 para 81.000 fãs no festival Sonisphere no Aeroporto de Bemowo em Varsóvia, Polônia.

Vários shows Big Four se seguiram desde então, mas têm sido poucos e distantes entre si nos últimos anos. Mustaine não é o único que tem problemas com isso. Em 2013, o frontman do Slayer, Tom Araya, disse que a única coisa que estava atrapalhando os próximos shows do Big Four era 'a política de caráter de uma banda em particular'.

Com a notícia da aposentadoria do Slayer, Mustaine falou sobre como ele achava que mais um show do Big Four estava em andamento antes do Slayer pendurar suas capas. 'Acho que antes de se aposentarem, deve haver outro show 'Big Four'', disse Mustaine. 'E como a cena começou principalmente na área da baía [de São Francisco], acho que deveria ser feita na área da baía ou aqui [em Los Angeles]. Para mim, simplesmente não é certo. Acho que deveria haver pelo menos mais um. '

O Slayer anunciou uma última turnê mundial e se aposentará após a turnê que se estende por todo o ano de 2019. (Crédito da foto: Getty Images)

O Slayer anunciou uma última turnê mundial e se aposentará após a turnê que se estende por todo o ano de 2019. (Crédito da foto: Getty Images)

Não há confirmação de se e quando isso vai acontecer, mas o Slayer estendeu sua turnê por todo o ano de 2019, então ainda há pelo menos um ano para acontecer.

Enquanto isso, mais recentemente, Mustaine acessou o Twitter para sugerir que, com a aposentadoria do Slayer, talvez seja o momento de um novo Big Four surgir. “Pode ser a hora de passar o bastão para a próxima geração de quatro bandas que valem a pena”, escreveu Mustaine. Nas hashtags, ele sugeriu três nomes: Testamento, Êxodo e Exagero e para o quarto, ele simplesmente deixou '#whosnext'.



Embora o sentimento seja apreciável, aqui está o que há de errado com essa afirmação. Todas as três sugestões do deus da guitarra - Testament, Exodus e Overkill - pertencem à velha escola do thrash e existem desde os anos 80. Eles têm seus próprios seguidores de culto e não são 'novos' por nenhum padrão. Enquanto isso, nas últimas quatro décadas, à medida que o thrash foi vencido pelo grunge e depois pela era alternativa, vários ramos e microgêneros surgiram da velha escola do thrash. Em países como Brasil, Canadá e Reino Unido, uma nova onda de thrash surgiu nos anos 2000. Enquanto o Slayer anuncia o fim de uma era, pode ser hora de inaugurar a nova onda. Então, aqui estão nossas principais opções para os 'novos quatro grandes'

vetor

As sementes para Vektor foram plantadas em Tempe, Arizona em 2002 pelo vocalista / guitarrista David DiSanto. Operando inicialmente sob o apelido de Locrian, a banda oficialmente se transformou em Vektor em 2004, e rapidamente forjou um nome formidável para si entre o contingente do Phoenix metal por sua mistura única de técnicas, speed thrash e influências progressivas. A banda lançou sua demo auto-lançada, 'Demolition', em 2006, e começou a fazer turnês tanto regional quanto nacionalmente, eventualmente fechando um contrato com a Heavy Artillery Records. Seu álbum de estreia pela gravadora, 'Black Future', saiu em 2009, com seu segundo lançamento, 'Outer Isolation', lançado em 2011. Seu terceiro lançamento, 'Terminal Redux' de 2016, é também seu primeiro álbum conceitual, contando a história de um sujeito de teste e sua ascensão ao poder dentro do 'Regime Cygnus' todo-controlador. O álbum mostra Vektor abraçar alguns elementos de áudio incomuns, incluindo a assistência vocal de um grupo de cantores soul da Filadélfia. Vektor é uma banda que está constantemente ultrapassando os limites do thrash e merece seu lugar no novo Big Four.

Warbringer

Uma unidade neo-thrash forte nascida da cena de revival thrash da Califórnia em 2004, Warbringer foi formada por um bando de crianças no colégio. Inspirado por gigantes do thrash da primeira onda como Death Angel, Metallica e Anthrax, o grupo gravou uma demo promissora que acabou levando a um EP, 'One by One, the Wicked Fall,' em 2006. O EP foi sólido o suficiente para capturar o atenção da Century Media, que rapidamente assinou contrato com a Warbringer e lançou seu álbum de estreia, 'War Without End' em 2008. Eles passaram por uma série de mudanças na formação, mas conseguiram manter sua música carregada como sempre. Terceiro LP do Warbringer, 'World Torn Asunder. IV: Empires Collapse 'chegou em 2013, seguido pela punitiva' Woe to the Vanquished ', a primeira da banda pela Napalm Records, em 2017.

Havok

Outro ato matador inspirado pelo florescente revival do thrash metal americano em meados dos anos 2000, Denver, Colorado's Havok reuniram-se em 2004 e prosseguiram em seu comércio retrógrado por meio de uma série de lançamentos autofinanciados: uma demo de 2005, um single de 2006 , e um EP de 2007, curiosamente chamado 'Pwn' em All '. Esses esforços os levaram a assinar com a Candlelight Records, que lançou o álbum de estreia de Havok, 'Burn', em 2009 e, em seguida, os enviou para uma turnê com bandas como Exodus, Anthrax, Destruction, Primal Fear e Hammerfall. Todo esse trabalho na estrada apenas apertou os traços impressionantes da banda e preparou os membros David Sanchez (vocal principal, guitarra base), Reece Scruggs (guitarra principal), Jessie de los Santos (baixo, vocais de apoio) e Pete Webber (bateria), para a gravação de seu segundo álbum, 'Time Is Up', que foi lançado no início de 2011 e recebeu ótimas críticas. Michael Leon substituiu de los Santos no baixo em 'Unnatural Selection' de 2013, que recebeu críticas positivas e teve um desempenho muito bom nas paradas também. Leon deixou a banda em 2016, para ser substituído por Nick Schendzielos do Cephalic Carnage. O quarto álbum de Havok, 'Conformicide', foi lançado em março de 2017.

Evile

O único candidato em nossa lista que não é da América do Norte são os roqueiros britânicos Evile, que são uma das poucas bandas que tentam revitalizar a arte do thrash metal sem se afastar muito de seu modelo original do início dos anos 80. Formado em 2004, o quarteto é composto pelos irmãos Matt (vocal, guitarra base) e Ol Drake (guitarra solo), Mike Alexander (baixo) e Ben Carter (bateria), e gravou um EP autoproduzido intitulado 'All Hallows Eve 'nesse mesmo ano. Várias demos se seguiram, e depois de ser eleito o melhor ato não assinado do Reino Unido pela revista Terrorizer, o Evile foi rapidamente contratado pela Earache Records, lançando seu LP de estreia, 'Enter the Grave', no outono de 2007. Eles seguiram dando suporte ao Megadeth no a perna européia de sua turnê em 2008. A banda foi se fortalecendo durante este ano, com sua faixa 'Thrasher' sendo incluída no videogame 'Rock Band'. Eles também estavam prestes a abrir o Satyricon em sua turnê europeia até que o guitarrista Ol Drake teve um colapso e fraturou o maxilar.

Evile lançou seu segundo álbum 'Infected Nations' em setembro de 2009, mas a tragédia aconteceu quando o baixista Mike Alexander faleceu. Depois de duas noites memoriais para Alexander em Leeds e Londres, eles fizeram um teste para substitutos no final do ano e foi anunciado que o ex-membro do Rise to Addiction Joel Graham era o novo baixista da banda. Em 2011, seu terceiro álbum 'Five Serpent's Teeth' foi lançado e foi o primeiro sem Alexander. Recebendo aclamação da crítica, a banda anunciou uma turnê europeia. O lançamento mais recente do Evile, 'Skull', de 2013, viu a banda se afastar mais de seu som original ao incorporar elementos mais sombrios do death metal.

Isenção de responsabilidade: As opiniões expressas neste artigo pertencem ao escritor e não são necessariamente compartilhadas por MEAWW.

Artigos Interessantes